fbpx
the act sindrome münchausen por procuração

THE ACT: já ouviu falar na síndrome de Münchausen por procuração?

The Act” é uma minissérie original da Hulu, de drama e crime, baseada em factos reais. Esta primeira temporada, lançada em março de 2019, foca-se na relação de Gipsy Rose Blanchard (Joey King) com a sua mãe Dee Dee (Patricia Arquette).

O enredo começa quando Dee Dee e a sua filha se mudam para uma nova casa, que lhes foi oferecida pela Habitat for Humanity. Gispsy é apresentada como uma criança com vários problemas de saúde, que condicionam o dia-a-dia da família: movimenta-se numa cadeira de rodas, não pode ingerir açúcar, é alimentada através de um tubo e dorme conectada a uma máquina de oxigénio.

No entanto, este cenário rapidamente muda de figura. De repente, o espectador é confrontado com uma história sobre abuso, que incide fundamentalmente sobre o síndrome de Münchausen por procuração.

 

Síndrome de Münchausen por procuração – o que é?

De acordo com a Direção Geral de Saúde (2011), o síndrome de Münchausen por procuração enquadra-se num tipo específico de maus-tratos infantis. O agressor, que é um elemento da família ou cuidador (e com mais frequência a mãe), fabrica deliberada e repetidamente sinais e sintomas, com o intuito de convencer a equipa clínica da existência de uma doença. Estes comportamentos geram diagnósticos inadequados procedimentos médicos desnecessários e potencialmente prejudiciais para a criança.

Nestes casos, existe uma atenção excessiva à criança sob forma de superproteção. Como referido por Oliveira (2016), a criança pode ser impedida de realizar atividades externas ou sociais, interagindo apenas com pessoas selecionadas pelo cuidador-agressor. Por conseguinte, pode verificar-se “imaturidade no desenvolvimento, ansiedade de separação extrema e, consequentemente, de dependência do cuidador” (p. 13).

Segundo a mesma autora, num estado de desenvolvimento mais avançado, as vítimas podem até passar a ser cúmplices na simulação de sintomas. Na verdade, confundem a realidade com a mentira e adotam os sintomas, com receio da punição ou abandono do cuidador.

A história real de Gypsy Rose

Se ainda não viu a primeira temporada de “The Act”, pode querer parar aqui a sua leitura, pois, neste capítulo, descrevem-se eventos reais que são também retratados ao longo dos oito episódios. 

The act münchausen

Na imagem, veem-se Gypsy e Dee Dee Blanchard. Mudaram-se para Springfliend, em Missouri (Estados Unidos da América), em 2008. A pequena Gypsy, usava óculos grandes; era magra e os seus dentes estavam mal cuidados; alimentava-se por um tubo. Quando a questionada, a mãe enumerava uma lista de problemas de saúde interminável: distrofia muscular, epilepsia, asma, apneia do sono, leucemia. Para além disso, acrescentava que a menina tinha sofrido danos cerebrais e que tinha que estudar em casa, porque, embora fosse adolescente, tinha a idade mental de uma criança de sete anos. Mãe e filha estavam sempre juntas e diziam ser as melhores amigas.

A casa para onde foram morar era uma obra de caridade e tinha adaptações especiais para a Gypsy. Para além disso, a família recebia outras ajudas de amigos e vizinhos, chegou a ganhar viagens para a Disney World e a receber experiências da fundação Make-a-Wish.

O cair do pano

Em junho de 2015, dois post no facebook de Dee Dee alertaram amigos e, principalmente, os vizinhos, de quem era próxima, que bateram à sua porta, sem resposta. Quando a polícia entrou na casa das Blanchard, Dee Dee estava morta na sua cama há vários dias e Gypsy estava desaparecida.

 

 

No dia seguinte, o xerife de Springfield deu um entrevista coletiva. “As coisas nem sempre são o que parecem”, disse ele. Gypsy não tinha sido raptada, como muitos pensavam. Tinha pedido ao seu namorado, que conhecera através da internet, para matar a sua mãe. Depois, fugiu com ele pelo seu próprio pé. Não usava cadeira de rodas já há alguns dias, porque não precisava; não tinha consigo os seus medicamentos, nem o tanque de oxigénio. Era tudo uma mentira arquitetada pela sua mãe.

De acordo com o pai de Gypsy, Rod, Dee Dee convenceu-se de que a filha tinha apneia do sono e de que parava de respirar a meio da noite. Nessa altura, começaram as idas regulares ao hospital. Os médicos não encontravam nada de errado com a saúde da menina e Dee Dee encontrava defeitos nos profissionais, nos diagnósticos, nos remédios.

Em 2005, Sidell foi atingida pelo furação Katrina. Então, Dee Dee aproveitou o facto da cidade ter ficado semanas sem energia elétrica para dizer aos próximos médicos que o histórico da filha se tinha perdido durante o desastre.

Onde está Gypsy Rose? 

Atualmente, Gypsy está numa cadeia, em Missouri, a cumprir uma pena de 10 anos. Poderá sair em 2023, quando tiver 32 anos. É agora saudável, sem tomar qualquer medicamento.

Para saber mais

Para saber mais sobre a história de Gypsy Rose Blanchard:

Bibliografia


 

Já viu Dispatches from Elsewhere? 

Fale connosco! Visite a nossa página do Facebook.

Professora do 1.º Ciclo do Ensino Básico e de Português e de História e Geografia de Portugal do 2.º Ciclo do Ensino Básico.
Artigos criados 12

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos relacionados

Digite acima o seu termo de pesquisa e prima Enter para pesquisar. Prima ESC para cancelar.

Voltar ao topo