fbpx
ler escrever desenvolver casa

Desenvolver a leitura e a escrita em casa

O seio familiar pode ser um contexto rico para desenvolver a leitura e a escrita com crianças de todas as idades. Neste artigo, ficam algumas estratégias e atividades que pode fazer em casa para potenciar a aprendizagem destas competências.

Crianças em idade de pré-escolar (ou antes de saber ler e escrever)

Antes de saber ler e escrever, é essencial que a criança construa uma representação sólida sobre as funções e a natureza da linguagem escrita:

  • Para que serve ler e escrever?
  • Quais são as suas características?
  • De que forma é que a linguagem escrita se relaciona com o oral?

Tal está diretamente relacionado com as práticas familiares e sociais em que a criança participa antes do processo formal de aprendizagem da leitura e da escrita. A criança vê os pais a ler e a escrever? Participa de alguma forma? Identifica grafismos em objetos e conhece as suas funções?

Estratégias e atividades – antes de saber ler

Em seguida, enumeram-se alguns exemplos de estratégias e atividades:

  1. No seu quotidiano, utilize a leitura e a escrita na presença da criança, natural e intencionalmente, para escrever recados e listas de compras, ler rótulos, jornais e revistas, entre outros.
  2. Facilite o acesso diversos suportes de escrita, com diferentes utilidades, tais como livros, revistas, panfletos, anúncios publicitários, entre outros. A exploração destes recursos favorece a apropriação das funções de cada suporte de texto.
  3. Leia para os seus filhos. Esta é, sem sombra de dúvida, uma atividade fundamental e já praticada por muitas famílias. Mas por que não propor à criança que reconte a história que lhe foi lida ou que dê a sua opinião sobre o comportamento ou ação de uma personagem? E também por que não ilustrar a história ou dramatizá-la? Pode ainda sugerir-lhe que invente um final diferente do original.
  4. Registe por escrito um texto ditado pela criança e leia-o para ela no final, apontando com o dedo cada palavra. Confirme que o que escreveu corresponde ao desejado. Por fim, peça-lhe que ilustre o texto que criou.
  5. Ofereça à criança um caderno destinado à escrita. Estimule e apoie todas as explorações e tentativas. Dê resposta às suas questões, mas dê-lhe liberdade para errar.
  6. Procurem, em folhetos ou revistas, palavras que a criança “já sabe ler”. Existem palavras que, por já fazerem parte do seu dia-a-dia, já fazem farte do vocabulário visual da criança (como nomes de jogos, dos seus programas de televisão preferidos, dos cereais que come ao pequeno almoço, etc). Podem construir um livro com essas palavras e, a partir dele, refletir sobre regularidades da língua:
    • procurar palavras que começam/terminam da mesma forma;
    • procurar palavras que começam pela mesma letra;
    • encontrar palavras com “bocadinhos” do seu nome.

Crianças em idade de 1.º ano de escolaridade (ou na iniciação à leitura e à escrita)

Em primeiro lugar, importa perceber que ler e escrever é mais do que dominar um código com símbolos e regras; é algo que serve, em primeira instância, para comunicar. Logo, esse código só é útil quando a criança compreende o sentido da mensagem. Então, aprende-se a ler e a escrever, lendo-se e escrevendo-se, num processo de descoberta, experimentação, partilha e reflexão sobre a língua. Neste processo, a escrita e a leitura são dois mecanismos indissociáveis e acontecem sempre de forma contextualizada, com intencionalidade, funcionalidade e/ou sentido.

Na verdade, as atividades e estratégias sugeridas para a fase anterior podem ser realizadas com crianças que estão a adquirir a linguagem escrita, dependendo das experiências linguísticas que já possuem.

Estratégias e atividades – durante a aquisição da leitura e da escrita

Leem-se abaixo outras propostas:

  1. Envolva a criança na elaboração da lista de compras. Se tiver por hábito utilizar o folheto do supermercado, pode incentivá-la a copiar o nome dos produtos. Leve-a consigo às compras e desafie-a a identificar algumas palavras da lista!
  2. Elaborem em conjunto um mapa de livros que já leram. Podem incluir informações como: o nome do livro, o nome do autor, a editora, o dia em que leram, quantas vezes leram, entre outros. Incentive a criança a copiar o nome do livro e, no futuro, a identificar o que escreveu.
  3. Selecione uma receita para fazerem em conjunto. Leia-a para a criança, apontando as palavras com os dedos e sublinhando os ingredientes com um lápis. Dependendo da sua fase de desenvolvimento, incentive-a a ler algumas palavras mais relevantes, como os ingredientes ou os tempos de cozedura.
  4. Ajude-a a organizar uma agenda com nomes, números de telefone e moradas importantes ou eventualmente necessários.
  5. Peça-lhe que recorte um pequeno texto em palavras. Baralhe-as e proponha que reconstrua o texto.

Escritores (mais ou menos) autónomos

Para nos tornarmos bons leitores não basta ler fluentemente (ou seja, descodificar e atribuir significado às palavras); também é preciso querer ler. Ora, para preservar a vontade de ler, é preciso que as tarefas de leitura sejam gratificantes. Tal vai depender não só do leitor, como também do texto e do próprio contexto.

Nesse sentido, é fundamental proporcionar um ambiente de leitura agradável à criança, propondo-lhe tarefas orientadas para propósitos com sentido, indo ao encontro dos seus interesses.

Estratégias e atividades – para leitores e escritores mais ou menos fluentes

Aqui ficam outras sugestões para desenvolver a leitura e a escrita em casa:

  1. Ajude a criança a criar um blog em que publique textos de opinião sobre livros, filmes, jogos ou outros.
  2. Incentive-a a escrever uma carta, mensagem ou email para enviar a um amigo ou familiar.
  3. Promova a participação da família em jogos de palavras, como Scrabble, o jogo da forca, o jogo do STOP, entre outros.
  4. Ajude-a a fazer um projeto ou investigação sobre um tema do seu interesse.

Em Conclusão

As propostas aqui apresentadas foram pensadas mediante uma abordagem discursiva, interativa e social da aprendizagem da língua. A escola é um espaço de construção social e é na sala de aula, pela partilha, análise e reflexão conjunta, que se desenvolve conhecimento em todas as áreas do saber. Ainda assim, também a nossa família é um meio socializador e potencializador de aprendizagem. Aliás, aquilo que as crianças constroem em casa pode e deve ser transportado para a escola, pois é uma oportunidade de partilha de experiências e conhecimento com os outros.

Bibliografia

Louseiro, M. (2015). Iniciação à produção escrita e à leitura – percurso numa turma de 1.º ano. Escola Moderna, 6(3), 93-114

Martins, A. M. & Niza, I. (1998). Psicologia da Aprendizagem Escrita. Lisboa: Universidade Aberta

Mata, L. (2008). A Descoberta da Escrita. Textos de Apoio para Educadores de Infância. Lisboa: Ministério da Educação

Silva, Bastos, Duarte & Veloso (2011). Guião de Implementação do Programa de Português do Ensino Básico. Lisboa: Ministério da Educação

 


Sabia que as crianças podem aprender em casa através da realização de trabalhos por projeto?

Fale connosco! Visite a nossa página do Facebook.

 

Professora do 1.º Ciclo do Ensino Básico e de Português e de História e Geografia de Portugal do 2.º Ciclo do Ensino Básico.
Artigos criados 12

Um comentário em “Desenvolver a leitura e a escrita em casa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos relacionados

Digite acima o seu termo de pesquisa e prima Enter para pesquisar. Prima ESC para cancelar.

Voltar ao topo