fbpx

plataforma online quer levar a cultura ao público

Desde a declaração do estado de emergência, em consequência do aumento de casos da COVID-19 em território nacional, todas as atividades culturais presenciais foram canceladas ou adiadas.

Até hoje, muitas foram as iniciativas levadas a cabo por diferentes artistas independentes, editoras e organizações. A título de exemplo, no passado mês de março, teve lugar o Festival #EuFicoEmCasa no Instagram e contou com a participação de vários músicos portugueses: Diogo Piçarra, Márcia, Salvador Sobral, David Fonseca, António Zambujo, entre outros.

Para lá das iniciativas musicais, o Teatro Aberto, disponibiliza no seu site peças online gratuitas. Em cena, encontra-se A Verdade, de Florian Zeller para ver a partir das 16 horas de cada dia.

No Instagram, Bruno Nogueira dá-nos uma dose noturna de conversa e humor com vários convidados: Nuno Markl, João Manzarra, João Quadros, entre mais.

Reunir os artistas e o público na internet

Teatro Nacional D. Maria II

Neste contexto, nasceu a TEIA19, uma plataforma informal de criação de conteúdos artísticos para disponibilização na web, apelando aos donativos do público.

Esta plataforma é gerida por um grupo de voluntários e não possui qualquer intenção lucrativa. Visa a colaboração de artistas e produtores culturais de várias áreas, de forma a criarem formas de conteúdo para o público à distância.

Não se exige qualquer pagamento para ter acesso a qualquer espetáculo online, porém, a missão da TEIA19 passa pela consciencialização para a importância do público fazer um donativo, não só para manter o setor cultural sustentável, como também pagar aos artistas que, hoje, não possuem um palco físico para atuar.

Numa primeira fase, a TEIA19 privilegiará os artistas e técnicos que tenham visto as suas apresentações canceladas nos meses de Março, Abril e Maio.Será organizada uma grelha de emissão dos formatos (não serão feitos live streamings). Cada artista deverá indicar o MBway, IBAN ou outra forma de pagamento para onde os donativos deverão ser transferidos ou depositados.

 

Em declarações ao Diário de Notícias, André Gago – ator, encenador e principal responsável por esta iniciativa – afirma que os artistas são uma classe desprotegida, na generalidade sem contrato de trabalho e à mercê da receptividade do público: Os artistas são muito generosos, querem partilhar as suas criações e as pessoas continuam a ver os seus artistas em streaming na internet e nem se lembram de que eles podem estar a passar dificuldades”.

 
A primeira proposta da Teia19 está agendada para 7 de abril com um recital inspirado em poemas de Amália Rodrigues.
Artigos criados 44

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos relacionados

Digite acima o seu termo de pesquisa e prima Enter para pesquisar. Prima ESC para cancelar.

Voltar ao topo